segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A dieta japonesa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Atualmente, a comida japonesa é muito popular mundialmente, não apenas pela sua apresentação e sabor, mas também por ser considerada uma comida muito saudável. Uma das características da cozinha japonesa consiste no p
reparo dos ingredientes de modo a conservar seu frescor e realçar seu aroma e sabor, inclusive conservando suas cores naturais. Em geral, pode-se dizer que a dieta japonesa é muito saudável pois contém todos os nutrientes necessários em uma refeição e possui alguns alimentos com propriedades muito benéficas ao organismo. Exemplos desses alimentos:

O peixe é uma excelente fonte de proteína e a melhor de ômega 3, um tipo de gordura benéfica para o coração, que reduz o colesterol e a pressão arterial.

A alga possui vitamina C, importante para potencializar o sistema imunológico.

O gengibre utilizado para tempero age como antibiótico, antiinflamatório e forte atividade antioxidante (que combate o envelhecimento das células).

A soja reduz os níveis de colesterol ruim (LDL) no sangue, evitando o acúmulo de placas de gordura nas artérias, e age como um melhorador dos sintomas da menopausa em função do seu teor ótimo de isoflavonas.

Os cogumelos têm ácido glutâmico que auxilia também o sistema imunológico.

O chá verde ajuda no bom funcionamento digestivo, por causa da presença de substâncias chamadas catequinas. Possui ação bactericida e antioxidante e impede a proliferação de células cancerígenas.

Além, um do grande número de hortaliças usadas, cujas fibras fazem muito bem ao organismo, melhorando o funcionando intestinal e controlando os níveis de glicose e colesterol no sangue.

Problemas: a dieta japonesa pode ser deficiente em ferro, já que não tem a carne vermelha, que é a principal fonte de ferro heme. Para conclusão dos pratos, o shoyu é um tempero característico, agregando uma quantidade de sódio elevada a esta refeição. Este sódio, se ingerido em excesso, auxilia na retenção de líquidos. 





beijos



Carol Foltran
Postar um comentário