terça-feira, 16 de outubro de 2012

Diferença entre fome e vontade de comer, muito bom para quem esta com balão intragastrico !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Sentir fome o dia todo não é normal. Se você não passa mais de meia hora sem mastigar alguma coisa, alerta ligado. Pode ser esta a explicação para suas dificuldades com a balança. E, em geral, quem age assim não sente fome. "Nenhum organismo tem uma necessidade tão intensa de consumir alimentos", afirma a nutricionista responsável pelo Minha Vida, Roberta Stella. Isso é vontade de comer, simplesmente. Trata-se de um sintoma que mascara ansiedade ou é disparado quando somos expostos a sensações visuais ou olfativas tipo passar na frente de uma confeitaria incrível, mesmo tendo acabado de comer sobremesa ou vasculhar a geladeira enquanto o computador ligado lembra que há trabalho a fazer .

Sucumbir frequentemente à vontade de comer pode levar ao excesso de peso e à sensação de descontrole. Por isso, a principal atitude é estabelecer uma rotina alimentar, estipulando horários para as refeições principais e, também, para pequenos lanches intermediários. A seguir, a nutricionista do Minha Vida identifica as principais situações em que o vício da mastigada mantém-se à espreita. Fique atenta e leia com atenção as dicas que a especialista dá para você se livrar do problema.


Perigo: Você tem mania de ficar beliscando, mesmo tendo acabado de comer, e perder a noção de quanto alimento já foi consumido.

Como resolver: nas refeições principais (café da manhã, almoço e jantar), consuma alimentos com maior volume e menor quantidade energética como frutas, legumes, verduras, além de cereais integrais (por exemplo, arroz integral). Dessa maneira, o organismo irá receber o alerta de saciedade, levando à interrupção da ação de se alimentar. Além disso, esses alimentos são ricos em fibras, fazendo com que o esvaziamento gástrico ocorra lentamente. Outra dica é estipular horários para pequenos lanches entre as refeições principais, isso evita ficar beliscando. 


Perigo: Com trabalho para fazer, você não para de vasculhar a geladeira e desconta a ansiedade, o tédio ou até a felicidade de ter terminado o trabalho na dieta. 

Como resolver: é comum querer desviar a atenção em situações que exigem muita concentração. Em casa, facilmente a geladeira é o alvo preferido. Se o cansaço bateu, faça outra atividade, como ouvir uma música, fazer uma ligação para um amigo, ver um programa na TV ou ler alguma revista ou jornal. Mas, o importante, é não transferir para o alimento algum sentimento ou recompensa por um trabalho que está sendo realizado. 


Perigo: Abusar do couvert e pedir uma refeição mais leve no restaurante.

Como resolver: No momento em que chegar ao restaurante, a fome pode estar dando sinal de vida. Entretanto, o mais prudente é fazer logo o pedido e dispensar petiscos ou o couvert, que acrescentam calorias desnecessárias no seu cardápio.


Perigo: Sempre que senta para assistir à televisão, arruma uns petiscos.

Como resolver: ao assistir ao seu programa preferido, evite comer em frente à TV. Dividir a atenção com o alimento faz com que você perca a noção da quantidade ingerida, comendo demais. A melhor atitude é fazer um lanche pequeno entre as refeições principais, podendo ser frutas, iogurte, suco, barrinha de cereais. 


Perigo: Aproveita os minutos no telefone para comer alguma coisa. 

Como resolver: falar com alguém ao telefone e ao mesmo tempo ficar petiscando não é nada agradável. Primeiro, porque a pessoa do outro lado da linha perceberá e, depois, você pode não prestar atenção ao que está sendo falado. Além de mastigar mal, prejudicando sua digestão. 


Perigo: Manter guloseimas no porta-luvas do carro. 

Como resolver: já há disponíveis vários alimentos que podem ser levados para cima e pra baixo, esperando a fome. Mas é importante não fazer do carro ou da bolsa uma doceria ambulante. Boas opções são barrinhas de cereais, embalagens individuais de biscoito integral e frutas. Não há desculpas que defendam a vontade de comer. Mas, se a fome aparecer, opte pelos alimentos mais saudáveis. 



beijos

Carol Foltran
Postar um comentário