terça-feira, 7 de agosto de 2012

Fibrose: Um problema pós-lipo

A lipoaspiração por se constituir em uma técnica invasiva, representa uma agressão que provoca uma reação em cadeia em todo o sistema de defesa do corpo. Desta forma, quanto maior a quantidade de gordura retirada, maior será a agressão e, conseqüentemente, maior será a reação do organismo. Neste caso, tem início um processo de cicatrização irregular, que tende a formar uma fibrose subcutânea, fazendo aderências que prendem a pele ao músculo.


A fibrose são aquelas ondulações que às vezes aparecem na região onde foi feita a lipoaspiração e na incisão cirúrgica, ocorrendo durante a cicatrização de uma área lesada. Ela pode ocorrer em maior ou menor grau e sua aparição depende de vários fatores. Uma explicação mais científica da fibrose é que esta é uma espécie de edema e proteínas acumuladas de forma crônica, que atrapalham o funcionamento dos fibroblastos, que são responsáveis pela cicatrização, sendo que este trabalha em excesso e sem orientação, produzindo essas ondulações de colágeno, que causam repuxamento e dor ao paciente, além de uma aparência feia na região.
Logo após a cirurgia, a fibrose é intensa, endurecida e sensível. Geralmente o tratamento da fibrose é longo, sendo que de 6 a 12 meses após a cirurgia, ela tende a amolecer e até regredir. Vários são os fatores que podem influenciar no aparecimento desta:


- repouso inadequado;
-leves traumas na região (como pegar peso, ou pegar o filho no colo);
-uso incorreto da cinta cirúrgica;
-reação do próprio organismo à agressão sofrida com a lipoaspiração.


Por isso, os cuidados no pós-operatório são essenciais, dentre eles em destaque a drenagem linfática pós-cirúrgica, o uso de cintas, uso de protetor solar na região, evitar esforço físico na fase inicial, manter assepsia e uma alimentação adequada, com vitaminas e minerais que desempenham papel importante. Um pré-operatório atualmente é recomendado na cirurgia de lipoaspiração, com drenagem, microcorrentes, esfoliações, entre outros. É atribuída ao pré-operatório, juntamente a um bom pós-operatório, a chance de uma cirurgia bem sucedida .


Se houver um leve quadro de irregularidades cutâneas, a drenagem linfática manual, ultra-som, mais tardiamente endermologia, devem ser opções de tratamento da fisioterapeuta. Caso seja um quadro importante de irregularidades cutâneas, procurar o médico é importante para uma avaliação do estado pós-cirúrgico.

beijos


Carol Foltran
Postar um comentário