quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

A raiva pode motivar a perda de peso!!!!!!!!!!!!!!!!!


Presente em vários momentos e situações diferentes, a raiva pode gerar diversos pensamentos e efeitos físicos que fazem o sentimento crescer ainda mais. Mas, você sabia que ela também pode ser positiva? Segundo o estudo americano “Anger Fuels Better Decisions1, realizado pelos pesquisadores e psicólogos Wesley Moons e Diane Mackie, da Universidade da Califórnia em Santa Barbara, a raiva é projetada para motivar as pessoas a agir, ajudando a tomar as decisões corretas, e desta forma pode ser canalizada para os desafios e objetivos que temos traçado, como por exemplo, o combate à obesidade.

É comum ver pessoas comerem demais para suprir o sentimento de raiva, ou até mesmo desistir da luta por um corpo mais saudável, pela raiva que sentem com a própria falta do alimento, especialmente aquelas que se submetem a dietas mais restritivas, como as ocasionadas pelas cirurgias bariátricas e colocação do balão intragástrico.

 De acordo com a  Marilice Rubbo de Carvalho, “em casos em que a raiva surge, por não poder comer tudo que deseja, mostra o quanto a comida ainda está inserida na vida do paciente como uma das únicas coisas boas que tem acesso. É preciso procurar outras atividades que tragam prazer para que esse sentimento diminua. Mas, existem casos em que a raiva pode até ajudar como, por exemplo, quando surge devido um senso de competição ou sentimento de ser igual ao outro que admiramos, podendo fazer a pessoa se motivar a emagrecer, e ter gana para conquistar seu objetivo“.

A especialista destaca que muitas vezes o indivíduo não consegue canalizar o sentimento para o lado positivo sozinho e que ajuda de um psicólogo é importante. Mas ela adianta aqui algumas dicas básicas que podem ser praticadas no dia a dia. Confira:

1.     Lembretes. Faça uma lista com todos os motivos para emagrecer, e a cada situação de raiva leia novamente e motive-se a continuar.
2.     Respire. Quando surgir o sentimento de raiva, inspire e expire lentamente, várias vezes. Se inspirar três segundos, tente expirar em seis.
3.     Pense. Preste atenção nos pensamentos que surgem em sua mente após o pico da raiva e reflita sobre eles. A forma que pensamos define como nos sentimos.
4.     Você está no controle. Acredite mais em você e repita a si mesmo que todos os resultados dependerão de suas próprias atitudes.
5.     Siga em frente. Ao invés de mergulhar na autopiedade, tente achar uma solução para o problema.

beijos

Carol Foltran

Postar um comentário