segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Entendendo o efeito platô !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


 Dr. Gabriel Cairo Nunes. Nutricionista da nossa apresentadora Carol Foltran e especialista em perda de peso. Marque sua avaliação com ele na Clinica Healthme
O corpo humano não consegue entender, o que a perda de peso, pois na evolução natural do homem, o corpo se adaptou para ir em busca do alimento com atividades de caça, pesca além de enfrentar longos períodos de privação alimentar, por não haver o acesso desses alimentos diariamente.
Por essa razão que o corpo tende a armazenar calorias extras na forma do conhecido pneu no abdômen

Hoje em dia o acesso ao alimento é muito e não se faz necessário o corpo armazenar energia, mas como a hereditariedade ainda está presente ela nos deixou essa lembrança genética, onde ocorre o desequilíbrio entre a ingestão alimentar e gasto calórico.
O Platô é apenas o equilíbrio entre ingestão e gasto calórico.
Muitas vezes o paciente acredita que tem que comer menos do que já está comendo para burlar o efeito platô, o que oriento meus pacientes nessa ocasião é aumentar o gasto e não ingerir menos calorias, mesmo porque a ingestão calórica inferior a 1200 calorias poderia causar deficiente nutricional.
Quando o corpo se adaptou a armazenar calorias, ele também gastava ela em suas jornadas para caçar, pescar, correr entre outras atividades.
Hoje em dia observamos um gasto calórico muito pequeno das pessoas que sofrem com excesso de peso. O exercício físico não apenas gasta caloria no momento em que ela sendo feita e sim horas após o termino desse exercício.

Quando observamos pessoas praticantes de atividade física moderada reparamos que o consumo alimentar dela é alto e mesmo assim o corpo dela não armazena calorias, ou seja, ele se mantém magro.  A atividade física pode elevar a quantidade de músculos do corpo, fazendo com que o individuo fique com um maior gasto calorico durante a vida toda. Por essa razão que muitas vezes acreditamos que sem atividade física não há como manter o peso perdido.
O gasto calorico em pessoas que perdem peso sem atividade física baixa junto com a perda de peso, fazendo com que cada vez mais o paciente coma menos para que ocorra a perda de peso, até chegar a um ponto que o paciente não consegue seguir essa restrição alimentar e para de fazer o tratamento e acaba acontecendo o efeito rebote. (Rebote: Ganho do peso perdido)
Quando o paciente faz atividade física e restrição alimentar o metabolismo (gasto calorico aumenta) mesmo quando ocorre a perda de peso, ou seja, a restrição alimentar é menor e o paciente consegue seguir essa orientação para a vida toda.
Também podemos observar na perda de peso com exercício físico o platô em numero (a balança não abaixa, mas a cintura afina). Isso ocorre porque a massa magra também pesa, ou seja, você realmente está trocando a gordurinha por músculos, isso a longo prazo vai ti levar a perda de peso.
Como descubro se estou no efeito platô??
Anote tudo o que come, faça as contas de quantas calorias você está ingerindo e faça o calculo de quantas calorias está gastando por dia. Se o numero for o mesmo – Legal você está no famoso efeito platô. O ideal é você procure um profissional em nutrição para que ele possa fazer uma avaliação.
Hoje em dia é recomendado um exame chamado: Bioimpedância elétrica ou calometria indireta. Esses exames mostram quanto o corpo gasta de calorias para se manter vivo de modo que esse valor pode ser aumentado quando existe a pratica da atividade física.
O Dr. Gabriel é Nutricionista, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva – Unesp Botucatu. Aperfeiçoado em Obesidade pela Faculdade de Medicina de S. J. Rio Preto. Aprimorado em Nutrição Clínica pela USP – Ribeirão Preto Aprimorado em Obesidade pela Unoest. Pós graduando – Ambulim – USP. Professor de Nutrição na Escola TechCare Araraquara e no Senac Araraquara. Membro Especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica, Metabólica e Sócio da Sociedade Brasileira de Nutrição Enteral e Parenteral e Membro da ABESO.

beijos

Carol Foltran
Postar um comentário